Representações de professores e gestores de uma escola que se diz pesquisadora

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Amália Galvão Idelbrando http://orcid.org/0000-0001-7405-7286

Resumen

O presente texto é parte integrante dos resultados de uma pesquisa em Educação que se propõe a refletir tanto sobre as representações de professores e gestores de uma escola que se autointitula Escola Pesquisadora como também sobre a relação entre suas práticas e a construção de conhecimento de seus alunos. Os procedimentos metodológicos empreendidos foram: entrevistas semiestruturadas com 5 gestores, 8 professores e 10 alunos egressos, bem como análises documentais e observação participante. A perspectiva teórica que se buscou seguir foi a antropologia dialética, a partir da obra de Henri Lefebvre, para quem as representações se formam entre o vivido e o concebido de sujeitos determinados. O desdobramento das açõesdessa escola inovadora proporcionou aos professores a ocupação deum lugar diferenciado: o de sujeitos de criação.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

##submission.howToCite##
GALVÃO IDELBRANDO, Amália. Representações de professores e gestores de uma escola que se diz pesquisadora. RLCSNJ, [S.l.], v. 17, n. 2, p. 1-23, jul. 2019. ISSN 2027-7679. Disponible en: <http://revistaumanizales.cinde.org.co/rlcsnj/index.php/Revista-Latinoamericana/article/view/3920>. Fecha de acceso: 24 ago. 2019
Sección
Segunda Sección: Estudios e Investigaciones