Educação do campo no Brasil: um discurso para além do pós-colonial?

Sonia María da Silva Araújo

Resumen


O artigo identifica a educação do campo como fenômeno social que pode ser analisado com base na teoria pós-colonial. Todavia, ressalta-se que isto não é possível sem um deslocamento da matriz originária da teoria. Com base na desconstrução do discurso defende-se que a educação do campo é uma prática pós-colonial não porque no seu discurso o Brasil aparece como um país que não superou as mazelas do colonialismo ou porque continua a manifestar marcas da colonização portuguesa; nem porque o Brasil, na condição de país periferizado na ordem transnacional do capitalismo global, foi um país que se deixou subordinar. Mas porque os discursos da educação do campo manifestam resistências e enfrentamentos contra forças políticas internas e externas de seu território.

Texto completo:

PDF


 

Licencia de Creative Commons
Esta Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud esta registrada bajo la licencia Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 2.5 Colombia.