Educação do campo no Brasil: um discurso para além do pós-colonial?

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Sonia María da Silva Araújo

Resumen

O artigo identifica a educação do campo como fenômeno social que pode ser analisado com base na teoria pós-colonial. Todavia, ressalta-se que isto não é possível sem um deslocamento da matriz originária da teoria. Com base na desconstrução do discurso defende-se que a educação do campo é uma prática pós-colonial não porque no seu discurso o Brasil aparece como um país que não superou as mazelas do colonialismo ou porque continua a manifestar marcas da colonização portuguesa; nem porque o Brasil, na condição de país periferizado na ordem transnacional do capitalismo global, foi um país que se deixou subordinar. Mas porque os discursos da educação do campo manifestam resistências e enfrentamentos contra forças políticas internas e externas de seu território.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

##submission.howToCite##
DA SILVA ARAÚJO, Sonia María. Educação do campo no Brasil: um discurso para além do pós-colonial?. RLCSNJ, [S.l.], v. 8, n. 1, nov. 2010. ISSN 2027-7679. Disponible en: <http://revistaumanizales.cinde.org.co/index.php/Revista-Latinoamericana/article/view/52>. Fecha de acceso: 17 oct. 2017
Sección
Primera Sección: Teoría y Metateoría